Archive for the ‘turismo’ Category

Fábrica da Fiat trará crescimento a João Pessoa e Paraíba

agosto 10, 2011

A Fiat comunicou oficialmente ontem que a nova planta a ser construída em Pernambuco estará localizada na cidade de Goiana, no Norte do Estado.

A previsão inicial era que a fábrica ficaria no Complexo de Suape, próxima ao porto, refinaria e siderúrgica que lá operarão, mas após conversações com o Governo, a empresa resolveu implantar-se nessa nova fronteira industrial de Pernambuco. O Estado arcará com diversos subsídios, incluindo desapropriação e terraplenagem do terreno, isenção fiscal, melhoria nos acessos, etc.

Mas a notícia causou também impacto (e grande satisfação) na Paraíba; jornais paraibanos já informam sobre os benefícios que a Fiat trará para cidades como João Pessoa, Campina Grande, Santa Rita e Bayeux.

Primeiro, benefícios econômicos: Goiana localiza-se a apenas 10 km da divisa com a Paraíba. É possível que o Governo paraibano também consiga, por meio de incentivos, que algumas empresas satélites da Fiat (tanto de produção de bens como de serviços) se instale na Paraíba. E mesmo que não consiga, é certo que muitos paraibanos irão encontrar empregos ou clientes na Fiat.

Isso porque, apesar de localizar-se em Pernambuco, Goiana encontra-se mais próxima de João Pessoa (50 km) do que do Recife (80 km). E lembrando ainda que o trânsito da capital paraibana é ainda muito mais tranquilo do que na capital pernambucana, percebe-se que o acesso à Fiat será muito mais fácil, rápido e barato a partir de João Pessoa.

E afora os benefícios econômicos, haverá certamente impacto no segmento de turismo.

Estima-se que somente a Fiat empregue entre 2.500 e 3.500 pessoas; boa parte desse pessoal virá de fora, e precisará hospedar-se, ainda que temporariamente, em hoteis e flats. Prevê-se, da mesma forma que ocorreu em Recife, um grande aumento na procura por hoteis em João Pessoa, o que, se por um lado aumenta os preços, por outro lado traz novos investimentos e aumento na qualidade dos serviços.

A inauguração da linha de produção da Fiat está prevista para 2014. Após isso, certamente João Pessoa não será a mesma.

João Pessoa: cidade de maior crescimento do turismo no Nordeste

agosto 6, 2011

Muitas cidades do Nordeste competem pelo título de “maior destino turístico do Brasil”; esse título é desejado porque induz novos viajantes a escolherem aquela cidade para futuras viagens.

Dentre as diversas maneiras de se avaliar qual o principal destino do Nordeste, uma das mais objetivas é simplesmente estudar o tráfego aéreo nos principais aeroportos de cada cidade; já que, por conta da distância, a maior parte dos turistas se desloca para o Nordeste de avião, é fácil aceitar que as cidades com aeroportos mais movimentados são aquelas que receberam mais visitantes.

É claro que a análise poderia ser mais refinada, apurando-se os que viajam a negócios, os moradores locais que estão saindo a turismo, os que chegam a uma cidade e deslocam-se a outra, etc. Contudo, para uma análise mais simplificada, a simples contagem do volume de passageiros já nos dá uma idéia bem aproximada.

Bem, e por esse critério, qual seria o destino mais popular? Depende, também, da forma como avaliemos.

A Infraero publica periodicamente uma tabela com a movimentação de todos os principais aeroportos do Brasil.

Se conferirmos a movimentação de passageiros de junho de 2011, verificamos que a capital nordestina com aeroporto mais movimentado é Salvador (pouco mais de 4 milhões de passageiros, incluindo embarques e desembarques, no acumulado de janeiro a junho de 2011), seguida por Recife (pouco mais de 3 milhões), Fortaleza (2.600.000), Natal (1.200.000), Maceió (770.000) e João Pessoa (550.000 passageiros).

Esses números, porém, não revelam um fato importante: cidades como Salvador, Recife e Fortaleza são importantes polos turísticos há décadas, e mantem permanentes campanhas de marketing para reter e atrair novos visitantes.

Uma outra maneira de se avaliar o potencial de um destino é: qual foi o crescimento da visitação nos anos recentes? O crescimento revela não o quanto a cidade já é conhecida, mas o que ela tem de novo a oferecer; se a cidade tem rápido crescimento, significa que mais e mais turistas a estão descobrindo, o que por outro lado indica que ela tem muito a oferecer.

Assim, vejamos qual foi o crescimento nas principais cidades desde 2004, ano em que a economia brasileira começava a mostrar sinais de aquecimento, e portanto o turismo começou o vertiginoso crescimento que experimentamos até hoje.

Segundo dados da movimentação de passageiros de junho de 2004, Salvador já era líder (pouco mais de 1.900.000 passageiros, incluindo embarque e desembarque, acumulados de janeiro a junho de 2004), seguida por Recife (1.400.000), Fortaleza (970.000), Natal (441.000), Maceió (306.000) e João Pessoa (111.000).

Como se vê, entre 2004 e 2011, o movimento dos aeroportos de Salvador e Recife aumentou pouco mais de 100%, os aeroportos de Natal e Fortaleza aumentaram ao redor de 200%, o de Maceió aumentou 250%, e o de João Pessoa teve um aumento de 500%.

Isso significa que mais e mais pessoas estão fazendo turismo em João Pessoa, o que por outro lado tem levado ao aumento na oferta de serviços como hoteis e restaurantes. E como há melhor infraestrutura, os turistas voltam, e trazem os amigos. E isso leva a mais e melhores hoteis, mais e melhores restaurantes.

Um ciclo virtuoso que torna a cidade cada vez mais atrativa, sem contudo perder o charme de cidade calma.

Venha você também conhecer João Pessoa.

Porto de Cabedelo é o melhor do Nordeste

janeiro 16, 2010

Uma pesquisa realizada pela MSC (maior operadora de cruzeiros do Brasil) entre seus passageiros revelou que o porto de Cabedelo, aproximadamente 20 km ao norte de João  Pessoa, é o melhor do Nordeste.

Cabedelo foi considerado o melhor em receptividade, organização, logística e limpeza; seu principal diferencial é a feirinha de artesanato, montada no próprio cais. Cabedelo ficou à frente dos portos de Salvador, Fortaleza, Maceió e Recife (o porto de Natal, por conta de deficiências estruturais, não recebe navios de cruzeiro); o mapa abaixo mostra a rota dos cruzeiros pelo Nordeste.

A chegada dos navios turísticos a João Pessoa iniciou-se recentemente, em 2009; de novembro de 2009 a abril de 2010, estima-se que a MSC trará 44 mil passageiros, entre brasileiros e estrangeiros.

Ver página da MSC com informações sobre cruzeiros em João Pessoa.

Hotel Mussulo

outubro 11, 2009

O litoral da Paraíba aumenta o padrão de seu parque hoteleiro com a abertura do seu primeiro resort boutique All Inclusive.

Localizado a 20 km ao sul de João Pessoa, no Polo Turístico da Costa do Conde (onde se encontra também a praia de Tambaba), o Mussulo Beach Resort traz para a região uma nova experiência em hospedagem de luxo. Os turistas que visitam a Paraíba terão agora a oportunidade de desfrutar, com conforto e serviços de alto padrão, das belezas naturais e dos belos roteiros do Estado.

O hotel é o primeiro no Brasil sob gestão do grupo Mantra Resorts, Hotels & Casinos, responsável também pelo badalado Mantra Resort SPA & Casino Punta del Este; no Brasil, o Mussulo foi construído com capitais de um grupo angolano (Mussulo é o nome de uma ilha daquela país africano).

O Mussulo Beach Resort by Mantra reúne, em uma área de aproximadamente 96 mil metros quadrados, 102 bangalôs e uma completa estrutura de descanso e lazer para toda a família (abaixo, foto de uma das piscinas).

mussulo-paraiba

“O Mussulo é um produto único na região, que, apesar do potencial turístico, ainda não possuía um resort All Inclusive deste padrão, com perfil tanto para lazer, quanto para eventos”, comenta Gláucio Olchenski, diretor do grupo Mantra. Por conta dessa exclusividade e também da boa localização (o hotel está próximo a capitais emissoras como Recife e Natal), o grupo já trabalha com previsão de ocupação próxima a 100%.

A área de lazer oferece ainda um complexo aquático, com duas piscinas para adultos e uma para crianças, playground, duas quadras de tênis, uma quadra poliesportiva, uma de beach volley e salão de jogos; o hotel oferece, ainda, um Kid´s Club com equipe de recreação para entreter os pequenos.

Tarifa especial de inauguração: a partir de R$ 390,00 – bangalô para duas pessoas, exceto Ano Novo e Carnaval.

Preservação do Vale dos Dinossauros

setembro 2, 2009

Um dos principais pontos turísticos do Estado, o Vale dos Dinossauros, localizado em Sousa, a 444km da capital, passa por dificuldades.

Várias pegadas de dinossauros em áreas dos municípios de Uiraúna e Floresta do Borba, fora da trilha turística, estão desaparecendo devido à ação do tempo e ao tráfego de veículos, intensificadas com as chuvas; as denúncias foram apresentadas pelo diretor da Associação Comunitária Movimento de Preservação do Vale dos Dinossauros, Luis Carlos da Silva Gomes.

O diretor afirma que a área com vestígio de icnofósseis é maior do que a oficialmente registrada pelos órgãos públicos, compreendendo no total uma área de terreno sedimentar de 2.500 quilômetros quadrados. Essa área abrangeria a parte oeste de Pombal, além dos municípios de Pombal, Aparecida, Sousa, São João do Rio do Peixe, Uiraúna, Santa Helena, Triunfo e Poço José de Moura.

As deficiências de preservação da área foram também admitidas pelo secretário de Turismo da Paraíba, Romeu Lemos. Romeu Lemos afirmou que no inverno as pegadas ficam inundadas pelas águas do Rio do Peixe e há seis meses o espaço está fechado às visitações. Segundo ele, algumas réplicas dos dinossauros que existem no ponto turístico foram danificadas.

Romeu Lemos afirmou que conversará com representantes de órgãos como a Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), Secretaria de Turismo do Estado e Ministério Público para discutir ações que possibilitem as melhorias deste atrativo turístico e definam qual o órgão estadual que ficará responsável pelo lugar.

Os vestígios da existência de dinossauros no Sertão paraibano datam de aproximadamente  300 milhões de anos; eles poderiam ser um diferencial para alavancar o turismo, a economia e reforçar a imagem da cidade fora dos limites da Paraíba.

Entretanto, a dificuldade de acesso devido à falta de aeroporto nas proximidades e a falta de incentivo são apontados por Luis Carlos da Silva Gomes como obstáculos a serem vencidos pelos gestores públicos caso queiram potencializar a atividade na região. “Há falta de divulgação for a do estado, mas principalmente, a Paraíba não tem ainda uma cultura de preservação de seu patrimônio. É fácil perceber que os paraibanos não tem relação de cuidado com esse acervo.

A solução, segundo ele, é ampliar a identificação e preservação de toda a área em que existem pegadas de dinossauros, além daquelass catalogadas e visitadas pelos turistas; criar uma alternativa de retenção das águas do canal do rio, evitando a inundação das pegadas; recuperar a passarela de acesso às pegadas;  construir muros de arrimo para as áreas em declive para evitar deslizamento de terra sobre as pegadas.

Em toda a extensão, há registro  oficial de mais de 50 pegadas; no entanto, a Associação Comunitária Movimento de Preservação do Vale dos Dinossauros afirma que o número é bem superior.

Algumas pegadas de dinossauros encontradas medem en torno de 10 a 15cm. Luiz Carlos afirmou que no último final de semana encontrou novas pegadas de dinossauros no Sítio de Juazeirinho, no município de Santa Helena, próximo à cidade de Sousa.

Leia mais sobre o Vale dos Dinossauros.

Jurandy do Sax, na Praia do Jacaré, ainda melhor

julho 12, 2009

O músico Jurandy do Sax já é conhecido há algum tempo como um dos principais personagens do turismo paraibano;  o pôr-do-sol ao som do Bolero de Ravel na praia do Jacaré é um dos programas mais vendidos pelas agências de receptivo de João Pessoa.

Jurandy, entretanto, surgiu como artista autônomo, sem estrutura profissional, e isso ainda se reflete na simplicidade que cerca seus shows.

A partir de agora, Jurandy está inaugurando um espaço especial para atender aos turistas e fãs. A primeira melhoria será a criação de um camarim, que permitirá um contato mais próximo entre os artistas e os fãs; nesse local serão disponibilizados artigos como fotografias e camisas personalizadas, CDs e DVDs com gravações.

Ana Siviero pretende transformar Jurandy em celebridade internacional através de ações de marketing; por exemplok, Jurandy requereu inclusão no Livro dos Recordes (Guinnes Book) como o músico que mais executou o Bolero do Ravel no planeta – são quase 365 dias de apresentações por ano, e mais de três mil execuções desde que ele iniciou suas performances.

A estratégia de marketing inclui também a criação de uma empresa com o registro da marca Jurandy do Sax e a criação de logomarca, as quais vêm se juntar ao site www.jurandydosax.com.br;  a empresa passa a ter os direitos legais para lançamento de produtos Jurandy.

Outras medidas para melhorar o “produto Jurandy” começarão a melhorar a qualidade do show. Está em fase de instalação um equipamento que centralizará o som e o retransmitirá, sem interferências, aos demais bares às margens da praia do Jacaré.

Durante o show do músico, que dura em torno de 45 minutos, as pessoas ouvirão o Bolero de Ravel de maneira uniforme, sem nenhuma perda de qualidade.

Veja abaixo vídeo de Jurandy do Sax tocando Bolero de Ravel na Praia do Jacaré.